15 fevereiro 2016

Forks over knives


Forks over Knives é um documentário que conduz à reflexão, à vontade de mudar não apenas o conteúdo das nossas refeições, como também certos hábitos. Não retrata apenas o consumismo excessivo, as más escolhas alimentares actuais, mas formas de combatermos problemas que são, infelizmente, bastante comuns nos dias que correm, tais como o colesterol, diabetes, hipertensão, cancro, obesidade, saúde mental (problemas que, nós jovens não atribuímos grande preocupação, mas que poderão surgir no futuro caso não tenhamos cuidado), corpo e até beleza. Essas formas de prevenção e progresso na saúde resumem-se a vegetarianismo e exercício físico. Claro que, para uma pessoa alterar completamente a sua dieta alimentar, deverá primeiro falar com um nutricionista, ou alguém especializado no assunto. Nem sempre aquilo que pensamos ser o melhor para nós, o é de facto.
Não sou vegetariana e ainda há pouco tempo disse ao meu irmão algo que agora (mesmo antes de ver o documentário) discordo completamente e foi o seguinte, com estas exactas palavras: «Não percebo qual é a cena dos vegetarianos, não comem carne e a carne é necessária pois contém proteínas. Basicamente só comem “ervas”, não sei como é que ficam satisfeitos e como abdicam de comer certos alimentos que na teoria fazem mal mas que nos dão um prazer enorme». Apercebi-me da tremenda ignorância com que disse estas palavras, obviamente não estava a observar o caso no seu todo. Não me lembrei do quanto os animais sofrem para que possamos mais tarde comê-los e é mesmo assim.  Todos os dias morrem num número que nem conseguimos imaginar. São tratados, tratados não, torturados, sujeitos a condições horríveis, absurdas, chocantes. Andamos de olhos tapados e não queremos enxergar a realidade que se encontra todos os dias nos nossos pratos. 
Os alimentos saudáveis são mais caros. São! Porquê?! Embora todas as campanhas e programas para uma alimentação saudável (acredito até na veracidade destes), as indústrias, o próprio governo não deve ter um grande interesse em que as pessoas mudem os seus hábitos. O fast-food e derivados, geram doenças, doenças essas que podem ser curadas com medicamentos, medicamentos (caríssimos) esses que são previamente prescritos por médicos, médicos esses que fazem operações gerando rios de dinheiro, dinheiro esse que todas as indústrias procuram, não interessando os meios para atingir os fins. É a triste realidade.
Se todos, TODOS, começássemos a comer de forma a melhorar o funcionamento do nosso organismo, de forma a tornarmo-nos mais saudáveis, aposto que haveria uma redução na produção de gado para posteriormente serem mortos. Aposto que ocorreria uma grande mudança a nível global, uma mudança positiva, em que pessoas se tornariam saudáveis e com um ou umas preocupações a menos, haveria uma diminuição da poluição, as industrias acabariam por sofrer grandes reduções de lucro, deixariam de produzir animais para unicamente sofrerem e morrerem por nós, que de humanos e racionais pouco temos.
Se me vou tornar vegetariana (ou pelo menos algo perto disso)? Vou tentar, não é fácil, visto que ninguém em casa é e na universidade as comidas vegetarianas, digamos que não parecem nada e na residência nem espaço tenho para cozinhar. É algo ao que nos temos de habituar e digamos que não é nada simples... mas vou tentar.

Recomendo este documentário, é muito bom, motivador e esclarecedor!

19 comentários:

  1. É triste, mas gastas muito menos numa refeição de fast-food do que a comer de forma saudável, e não devia ser assim

    ResponderEliminar
  2. É tão mau que pensem que só comemos ervas ahaha Depois chegamos a um restaurante e só nos querem impingir ou salada ou massa sensaborona com vegetais de lata espalhados lá por cima, nem um molhinho nem nada. Na realidade não é uma dieta mais cara que a omnívora, vegetais são muito mais baratos que bifes todos os dias, eu notei uma grande diferença. Pessoalmente farto-me de comer pizzas feitas em casa, massas e batatas de todas as formas e feitios, é igualmente delicioso :p Agora estou a tentar deixar os derivados (queijo e... bem, na realidade só o queijo é que é o mais difícil para mim), é uma indústria ainda mais feia que a de abate... Aconselho-te a ires fazendo análises de rotina para não te baixar muito o ferro, se puderes consulta um nutricionista para te ajudar. Consome muita vitamina C porque é o que ajuda o ferro dos vegetais a ser processado, visto que é mais difícil que o da carne. Se precisares de ajuda diz :)

    ResponderEliminar
  3. Admito que após tantos anos a comer carne não sei se conseguiria mudar de um dia para o outro, talvez se outras coisas mudassem como o preço dos alimentos mais saudáveis (que realmente são mais caros)...Mas, compreendo o teu ponto de vista até porque cada vez mais as pessoas comem mal. Eu acho que estão a surgir dois tipos de pessoas diferentes, as que comem um "monte" de porcarias e não se preocupam e, as que já começam a preocupar-se com a saúde e a mudar alguns hábitos (mesmo que não se tornando vegetarianos). Boa sorte, com muita força de certeza que vais conseguir! :)

    MORNING DREAMS

    Sofia Silva, Beijos*

    ResponderEliminar
  4. Tenho mesmo que o ver, pareceu -me muito bom. Eu não sou vegetariano mas não como muita carne/peixe.

    ResponderEliminar
  5. Sou vegetariana desde os 19 anos e posso dizer-te que, se antes era uma esquisitinha com a comida, quando adotei esta dieta/estilo de vida passei a adorar comer. Como muito melhor e tenho um prazer enorme a preparar e a desfrutar das receitas. Eu não achei essa transição difícil, o meu raciocínio foi sempre: "terei sempre que fazer comida, a comida vegetariana é tão fácil de preparar como qualquer outra, por isso vamos em frente!" Na universidade frequentava a cantina e os pratos era só aceitáveis, mas os pratos não vegetarianos também não eram dignos de Masterchef. E quem diz que os vegetarianos só comem erva está muito mal informado :) Força nisso!

    ResponderEliminar
  6. É difícil mudar mentalidades, esta então...
    Boa sorte :)

    R: Obrigada pelas tuas palavras :)

    ResponderEliminar
  7. Fiquei curioso com o documentário, talvez vá aproveitar para ver no fim-de-semana. Parece-me uma boa sugestão :D

    http://ummarderecordacoes.blogs.sapo.pt/

    ResponderEliminar
  8. Tenho mesmo que ver, obrigado pela partilha!
    beijinhos
    The Fancy Cats

    ResponderEliminar
  9. eu adoro comida vegetariana (escolhendo muitas das vezes) e compreendo perfeitamente muitos valores mas como profissional de saúde não posso aconselhar que o façam, nem faço eu própria. Porque tudo é necessário.

    ResponderEliminar
  10. Vale a pena tentar reduzir pelo menos o consumo de carne!

    ResponderEliminar
  11. Olá querida, venho apenas avisar que mudei o link do blog:
    http://the-choice-26.blogspot.com/ , caso pretendas continuar a seguir-me.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  12. fiquei bastante curiosa com o documentário, mal tenha oportunidade vou ver :)

    ResponderEliminar
  13. Durante a faculdade optava sempre pela comida vegetariana porque era a que tinha melhor aspecto. Mas não me imagino a retirar por completo a carne e o peixe da minha alimentação. Vou fazendo refeições equilibradas e, por enquanto, é assim que me sinto bem. Talvez um dia tenha a força de vontade para não comer mais alimentos derivados de animais!

    ResponderEliminar
  14. Eu não sou fã de carne vaca, passo muito bem sem. Mas o meu frango... O peixe, bacalhau, salmão, não aguentaria viver sem :x

    ResponderEliminar
  15. Estou muito curioso para ver!
    http://theventuraproject.blogspot.pt

    ResponderEliminar